FUNDAMENTOS DO TERREIRO DO PAI TOMÁS – S.E.D.U.C.A.

Todo terreiro de Umbanda, ou melhor, todo templo religioso, deve ser fundamentado sobre algumas diretrizes e princípios dos quais todos os demais ensinamentos, ações e expressões devem sair. Assim manter público e sempre exposto os princípios e fundamentos de nosso terreiro deixarão claro como são os trabalhos, como dedicamos nossas vidas a nossa Umbanda e como procedemos os trabalhos de caridade. Acima de tudo tentamos manter vivos os ensinamentos de Jesus Cristo, o código moral e ético de nossa casa está sedimentado na vida e obra desse grande mestre da espiritualidade o nosso Senhor Jesus Cristo. São os fundamentos do TULAP – Cabana do Pai Tobias de Guiné. Assim como do SEDUCA – Terreiro de Umbanda do Pai Tomas. – A caridade – Ama a teu próximo como a ti mesmo – A gratuidade de todos os atendimentos e trabalhos – A não utilização de sangue ou de sacrifício animal – Não é realizado nenhum trabalho para o prejuízo de alguém – Recepção com amor a todos, sem qualquer preconceito ou discriminação, seja pela condição social, condição financeira, pela cor da pela, ou pela raça, pelo sexo ou pela opção sexual ou pela religião – A crença em um único Deus (Umbanda é monoteísta) – A crença nos Orixás como emanações do próprio Criador – A sobrevivência do espírito (alma) após a morte carnal – A lei das reencarnações – A manifestação dos espíritos desencarnados no mundo material por meio dos médiuns – A lei de ação e reação ou lei kármica – Um ritual como forma de disciplina e orientação – Que a Umbanda é uma religião mediúnica e alquímica (ou magística) Uma descrição completa sobre os fundamentos do TULAP – Cabana do Pai Tobias de Guiné. Assim como do SEDUCA – Terreiro de Umbanda do Pai Tomas. – desse mais importante fundamento extrai-se: – Daí de graça o que de graças recebestes. Não se aceita a cobrança por qualquer trabalho ou atendimento, seja por meio de moeda ou equivalentes; – Amar e aceitar todos os que ao terreiro recorrerem, encarnados ou desencarnados, sem preconceito seja ele social, racial, religioso, sexual ou de opção sexual; – A não aceitação e assim muito menos a prática de qualquer ato que produza, mesmo que indiretamente, o mal. Desta forma não são praticados atos que burlem, interrompam ou desviam a lei de ação e reação, tais como amarrações, prejuízos a outrem, ou punição a inimigos. 1. a prática da caridade (caridade entendido como o amor mais puro e desprendido a exemplo de Jesus Cristo), o que se exalta: “Ama a teu próximo como a ti mesmo”; 2. A crença em um Deus-uno (monoteísmo) cujo nome varia podendo ser chamado de Deus, Olorum, Zambi, e assim por diante. O único ser incriado que emana de Si toda a criação; 3. A crença nos Orixás como emanações de Deus, como a própria manifestação do Criador, os Orixás são o “hálito de Deus” 4. Na vida após a morte, na vida espiritual e na sucessivas encarnações (crê-se nas reencarnações) e que a liberdade verdadeira, e a felicidade verdadeira só serão alcançadas quando encerrarmos o ciclo de reencarnações; 5. Que todo espírito é filho de Deus e assim dos Orixás e merece nosso respeito, amor, dedicação e atenção. Para aqueles que tiverem que ensinar, aprenderemos, para aqueles que necessitarem de luz e amor, serviremos de instrumento para a força (axé) dos Orixás por meio de seus mensageiros; 6. Que os espíritos podem se comunicar com o mundo material por meio dos encarnados no fenômeno natural conhecido como mediunidade; 7. Que a mediunidade não é um Dom divino e sim uma faculdade que devemos zelar, proteger e desenvolver para dela fazermos a vontade do Pai; 8. Que os Orixás por serem a própria manifestação e essência divina não podem se manifestar diretamente nos terreiros de Umbanda. Assim o fazem por meio de espíritos de luz, os chamados guias, que se apresentam em formas, em roupagens fluídicas que denominamos forma-apresentação; 9. Um ritual como forma de disciplina e orientação, bem como de condução e concentração dos processos mediúnicos; 10. A lei de Ação e Reação, ou também conhecida como lei Kármica, que diz que toda ação, ou omissão que fazemos teremos um retorno. Somos hoje o reflexo de nossas ações no passado, quem magoamos, quem ajudamos. Assim o futuro de nossas vidas será o reflexo de nossas ações e omissão no momento atual. E que essa lei não é punitiva e sim educativa, por meio dela é que alcançaremos a iluminação e a felicidade; 11. Que a Umbanda é uma religião mediúnica e alquímica (ou magística). Isso significa que a Umbanda pode transmutar estados, sejam eles mentais, espirituais ou físicos. 12. A não utilização de qualquer sacrifício animal, bem como a proibição da utilização de qualquer elemento que contenha sangue (sangue, vísceras e a própria carne);